Abril Marrom na prevenção à cegueira

Com o objetivo de conscientizar a população sobre as diversas doenças e apresentar propostas para reduzir a perda de visão, foi criado, em 2016, o Abril Marrom – Mês de Prevenção e Combate às diversas espécies de Cegueira, campanha que conta com o apoio do Grupo H.Olhos.

Segundo o último censo do IBGE, mais de 500 mil pessoas são cegas no Brasil. Grande parte destes casos poderiam ser evitados com o diagnóstico e o tratamento precoce.

O cuidado deve começar desde o nascimento, com a realização do teste do reflexo vermelho (teste do olhinho), que pode identificar catarata congênita ou problemas retinianos. Uma avaliação de rotina com um oftalmologista é recomendada nos primeiros meses de vida, de preferência nos 3 primeiros, e a partir de então, a cada ano.

Entre os seis meses até os 5 anos, o alerta é para o estrabismo. A doença é caracterizada pelo desequilíbrio na função dos músculos oculares e causa um desalinhamento dos eixos visuais. Entre os 8 e os 14 anos, os erros de refração, como a miopia e a hipermetropia são os problemas oculares que normalmente acometem as crianças e pré-adolescentes.A partir dos 40 anos, a pessoa pode desenvolver glaucoma, que, quando não tratado, pode levar à cegueira irreversível. A doença é caracterizada pelo aumento da pressão ocular, o que provoca lesão nas fibras do nervo óptico. Ao chegar aos 50 anos, a atenção com os olhos deve ser redobrada.

Olhar+ Clínica de Olhos | Veja 10 doenças oculares mais comuns em idosos

ENTENDA ALGUMAS DOENÇAS OCULARES QUE PODEM LEVAR À CEGUEIRA
Catarata: ocorre devido ao envelhecimento do cristalino, uma lente natural do olho, que começar a partir dos 40 anos. Com o passar do tempo, ele fica mais fino, perde elasticidade e compromete o foco. Essa mudança torna a membrana opaca, formando uma espécie de mancha esbranquiçada no olho. Esse problema é responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo, segundo o Ministério da Saúde, e pode ser revertido com cirurgia.
Glaucoma: um aumento da pressão dentro do olho pode causar lesão do nervo óptico e levar à perda progressiva do campo visual. Geralmente, não há sintomas iniciais, porque o prejuízo ocorre aos poucos e afeta primeiro a visão periférica. A doença também está relacionada ao envelhecimento e o tratamento inclui colírios para diminuir a pressão intraocular e evitar a perda total de visão, mas não há cura dos sintomas.
Retinopatia diabética: os níveis descontrolados de glicemia em quem tem diabete provocam alteração na rede vascular da retina, camada localizada no fundo do globo ocular, e compromete a função de reconhecer e interpretar imagens. A visão embaçada pode ser um dos primeiros sinais e a melhor forma de preveni-la é fazer exames regulares. Além disso, segundo a Sociedade Brasileira de Diabete, pessoas com diabete têm 40% mais chance de desenvolver glaucoma e 60% de desenvolver a catarata.
Degeneração macular relacionada à idade: reduzida à sigla DMRI, é uma das principais causas de cegueira no mundo e atinge pessoas acima de 55 anos. Ela também afeta a retina, mas na parte central, e pode ocorrer de duas formas: inicial e branda, quando o paciente percebe diminuição de contraste e dificuldade para ler e escrever; e avançada, quando as imagens ficam mais embaçadas. Segundo o Ministério da Saúde, é indicada a mudança de hábitos, como não fumar, se proteger do sol e manter uma dieta balanceada com complementação vitamínica.
Conheça as 5 principais doenças oculares - A revista da mulher
PREVENÇÃO DE DOENÇAS OCULARES
Como a maioria das causas de cegueira podem ser evitadas, é recomendável que as pessoas se consultem com um oftalmologista regularmente, ao menos uma vez por ano. Caso haja histórico familiar de doença ocular ou já tenha algum problema, recomenda-se a consulta a cada seis meses.
Além disso, manter hábitos saudáveis e evitar exposição prolongada às telas podem colaborar. A seguir, a oftalmologista Alessia Braz, especialista em cirurgia refrativa e catarata, médica parceira da ZEISS, dá algumas dicas para prevenir problemas oculares.
Alimentação: consumir alimentos como cenouras, folhas verdes, ovos, frutas vermelhas e cítricas e peixes ajuda a evitar problemas na visão. Para se beneficiar, mantenha uma alimentação balanceada e adequada à sua rotina, incluindo alguns desses alimentos nas refeições e nos lanches.
Exposição à luz: a constante exposição à luz azul violeta (emitida por TVs, celulares, computadores, tablets e por lâmpadas de LED) pode causar danos irreversíveis aos olhos. Por isso, é importante fazer pausas a cada 30 minutos de exposição. Para isso, cubra os olhos com as mãos (em formato de concha e sem apertar) e permaneça assim, com os olhos fechados, por cerca de um minuto.
Controle da diabete: o descontrole da diabete pode causar bloqueio e rompimento do vaso sanguíneo dos olhos, que se não tratada pode causar cegueira. Assim, é muito importante fazer o controle periódico da glicemia e seguir as orientações médicas para evitar danos à visão.
Exposição ao sol: a exposição solar de forma intensa e prolongada pode causar cegueira; por isso, é fundamental que as lentes dos óculos (solares e de grau) tenham proteção contra os raios UV.
Dormir bem: o sono inadequado pode contribuir para a fadiga ocular, causando irritação nos olhos, dificuldade para focalizar, secura ou lágrimas excessivas, visão turva e sensibilidade à luz. Para evitar esses problemas, procure dormir no mínimo sete horas contínuas e em ambiente com nenhuma ou baixa luminosidade todas as noites.

A visita periódica ao oftalmologista é a melhor forma de identificar e prevenir doenças graves nos olhos, que podem levar à cegueira.